Compaixão

por Furoa

Compaixão, por Adair Neto

Neste post, gostaria de tentar provar a vocês por que devemos ter compaixão e também ousarei ajudá-los a fazer isso melhor.

O mais importante é saber que todos nós, seres humanos, somos iguais. Não devemos criar barreiras pois todos nós desejamos uma vida feliz, não importa se somos homens, mulheres ou crianças, não importa nossa aparência, classe social, religião e etc. E todos nós temos esse direito.

Por causa desse pensamento exclusivista de que somos melhores do que os outros, nós nos tornamos egocêntricos, temos usado muito as palavras “eu” e “eles”, fazendo separação entre o “eu” e o resto da humanidade. Devemos usar mais a palavra “nós”. Todas as 7 bilhões de pessoas que habitam o mundo são iguais, nós somos uma só humanidade, em um só mundo.

Nós, por natureza, somos animais sociais. Não conseguimos sobreviver sem cooperação e sem um senso de comunidade. E não somos os únicos animais assim. Muitos outros vivem comunidade, e o mais interessante: sem instituições, religiões, e etc. As instituições tendem a nos prender. Temos que tomar muito cuidado com isso. Devemos fazer as coisas por amor, não por obrigação.

O que faz com que cada um de nós, seres humanos, vivamos unidos é a amizade e a cooperação. Não importam as supostas diferenças que existam entre nós, a amizade possibilita que todo mundo viva junto. A verdadeira cooperação também é necessária porque nos responsabiliza a cuidar das necessidades dos outros.

É também importante deixarmos de lado o amor ao poder e ao dinheiro. Essas coisas quase sempre tiram nossa felicidade porque nos impedem de ter uma boa vivência em comunidade. Uma frase de Jesus exprime muito bem essa verdade: “É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus”. Só conseguimos viver felizes quando vivemos em comunhão uns com os outros. E para vivermos em comunhão, precisamos sentir compaixão por todos, ou seja, precisamos nos abrir, ouvir o outro, sermos transparentes, honestos, termos o coração aberto e uma preocupação genuína com o outro.

O assunto é longo. Talvez eu o continue em um próximo post. Espero que fique em nossas mentes que somos todos iguais e que só conseguimos viver felizes sentindo compaixão um pelo outro.

Anúncios