Viciados em informação

por Furoa

Ele sabia de tudo. Caso quisesse saber com quantos paus se faz uma canoa, bastava pesquisar em seu cérebro.
Uma vez perguntaram a ele:
— Homem, o que é a vida?
E ele não soube responder.

Uma das coisas que percebi durante o mês de dezembro é o quanto nós estamos viciados em informação. Nós “precisamos” saber todos os detalhes da vida de algumas pessoas, todas as novidades da Apple e etc. E se nós não soubermos disso tudo, ficamos desesperados.
No mês passado, eu não acompanhei as novidades do mundo da tecnologia, não vi o que meus amigos fizeram no Twitter, não soube como estava a política mundial, não acompanhei as palestras de pessoas que me inspiram, não li os blogs que gosto e não soube de muitas outras coisas. O resultado foi que eu fiquei louco. A minha sede por informação se tornou uma doença: ou eu sabia de tudo ou eu perdia a razão. E isso não aconteceu só comigo, continua acontecendo com muita gente.

O pior é que nossa sede por informação influenciou até a nossa visão da Bíblia. Como tudo o que nos importa é obter dados literalmente verdadeiros, transformamos a Bíblia num livro de ciências. Nós temos o costume de ler o relato da criação como uma fonte científica que explica todos os mistérios do universo (é por isso que existem aquelas discussões chatas sobre criacionismo e evolucionismo), porém olhar a Bíblia dessa forma é um grande erro por dois motivos principais:
1. Os judeus não pensam da mesma forma que os ocidentais. Eles têm uma cultura baseada na vida e nas histórias, não na pesquisa e na razão. Para os judeus, o mais importante não é saber como todo o universo funciona, mas saber como desfrutar dele.
2. A Bíblia não foi escrita com a intenção de ser um livro de ciência. Grande parte do Antigo Testamento, por exemplo, foi escrito por estudiosos judeus, chamados de escribas, num exílio. Os judeus estavam fora da sua terra, num país em que a injustiça reinava, sendo explorados e então esses escribas escreveram e compilaram inúmeros textos para reforçar sua identidade, relembrar que Deus estava com os judeus e que eles tinham uma missão: abençoar o mundo.

O mais importante da vida não é saber de tudo. A Bíblia não foi escrita para nos informar como o mundo funciona, mas para nos mostrar como nós funcionamos.
Desligue-se um pouco do Google, dos tweets e do mundo virtual. Você não precisa saber de tudo para viver.

Próximo post: A máquina vai parar

Anúncios