O verdadeiro discipulado

por Furoa

Esquecemos que o discipulado significa afastamento do mundo, e nos esquecemos da verdadeira alegria e da liberdade que são o resultado de uma regra de vida devota.
— Dietrich Bonhoeffer

 

O que é discipulado?

Muito se fala sobre discipulado nas igrejas hoje. Esse é, de fato, um tema muito importante, portanto é imprescindível saber o que é o discipulado genuinamente cristão e o que não é.

Como o próprio nome diz, discipulado é o estado daqueles que são discípulos. Todos os cristãos são discípulos de Cristo, logo todos vivem em discipulado. Isso nos ensina a sermos humildes pois, por mais que conheçamos sobre Jesus, sempre há algo para aprender e por em prática.

Ser discípulo de Jesus é muito mais do que apenas conhecer os seus ensinamentos, é viver como ele vivia. Ou seja, discipulado não é um curso, é relacionamento comunitário que produz uns nos outros o estilo de vida de Cristo: auto-negação, compromisso com o próximo, cuidado com os pobres, denúncia contra as injustiças da sociedade e dar a vida pelos outros (Mt 25,31-46; Lc 4,16-21; 1 Tm 2,5-6). Todos os cristãos seguem o mesmo mestre e aprendem uns com os outros como viver de um modo mais parecido com ele.

 

Análise bíblica: Mateus 28,19-20

“Indo, discipulai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e ensinando-as a observar tudo quanto vos ordenei.”

Um texto bíblico muito usado para justificar o conceito comum de discipulado é Mateus 28,19-20. Muitas bíblias traduzem esse versículo como “Ide, fazei discípulos…”, afirmando o discipulado como um evento, porém a melhor tradução para ele é “Indo, discipulai…”, como descrito acima. Ou seja, discipulado não é um evento, não é algo que se faz, mas algo que se vive.

A didática tem grande importância no discipulado, mas ela é apenas uma parte do todo (um curso que ensine as bases da fé cristã é importante, mas o nome correto para isso é catequese, não discipulado). Cabe às pessoas mais maturas na fé viverem como Jesus para poderem ensinar os outros a viverem de modo verdadeiramente cristão. Para sermos um exemplo a todos aqueles que não conhecem a mensagem de Jesus, precisamos negar a nós mesmos e amar o nosso próximo, o que inclui amar nossos inimigos e cuidar dos excluídos e oprimidos da sociedade.

 

Alguns cuidados precisam ser tomados

É preciso tomarmos cuidado quando se fala de discipulado, pois ele tem sido largamente usado para abusos religiosos, principalmente em modelos como MDA, G12, etc. que abusam emocionalmente dos fiéis, funcionam de forma corporativista e usam técnicas de manipulação (sério!).

Nós não devemos nos apegar a visões e modelos, ainda mais a esses que clamam ser apostólicos quando na verdade não são — os apóstolos nunca usaram nada semelhante aos modelos previamente citados. Fazer discípulos é ensinar o caminho de Cristo, não uma “visão” específica de um líder religioso.

Não se apegue a modelos e métodos. Discipulado é estilo de vida de todo cristão, portanto é impossível colocá-lo dentro de uma caixa. Tenha espírito crítico, seja como os bereanos (At 17,11) e analise a fundo tudo que lhe é proposto. Toda “visão religiosa” que nos impede de criticá-la é abusiva. Todo cristão deve ser servo, não ditador (Mt 20,25-28), portanto fique com o pé atrás com aqueles que querem mandar na sua vida. Não podemos ser dependentes de ninguém!

 

O discipulado de Jesus é comunitário e orgânico, não mecanizado. Além disso, não somos discípulos de um líder, nem de modelos nem de visões religiosas, mas discípulos do Cristo crucificado. Todo cristão deve ter o discipulado como estilo de vida, vivendo como Jesus viveu: dedicado inteiramente aos outros. Permita-se ser ajudado por seus colegas nessa caminhada e os ajude também (caso precise de ajuda, entre em contato comigo). Se liberte de todas as lideranças escravizadoras e manifeste-se a favor de seguir o Jesus que liberta.

Igreja em Jacutinga/MG

Catequese (Jacutinga/MG)

Nota: creio que o descanso é parte fundamental da espiritualidade humana. Tendo isso em mente e aproveitando que passarei três semanas longe de casa, não postarei nada até o meu retorno no mês de agosto. Espero que esse seja um momento de me conectar comigo mesmo, conectar com Deus, relembrar quem eu sou e o que dá sentido à minha vida e perceber a beleza nascendo no mundo.

Anúncios