A importância dos mitos

por Furoa

O mito é mais individual e expressa a vida de forma mais precisa do que a ciência. (C.G. Jung)

É muito comum ver pessoas desprezando mitos, dizendo que são inverdades, coisas retrógradas. Essas pessoas têm a mente presa à cientificidade, não reconhecem que a razão e a ciência não podem (nem devem tentar) explicar a complexa realidade humana.

Os mitos e suas respectivas metáforas comunicam coisas impossíveis de serem ditas através da letra morta da verdade literal e científica. Nenhuma palavra consegue descrever a experiência de sentir o calor do fogo, a companhia de quem amamos ou a presença do divino. Para descrever essas coisas usamos os mitos.

Mitos são coisas profundas; são histórias que existem no nosso subconsciente e precisam ser contadas. Eles contêm verdades ocultas que não podem ser transmitidas de outra forma. Nós, seres humanos, reconhecemos — mesmo que não conscientemente — essas verdades. Elas são chaves para nossa autorrealização, como manuais terapêuticos. Os mitos nos convidam a dar ouvidos a eles e, assim, conhecermos melhor a nós mesmos.

Um exemplo clássico é o mito do herói, que luta para vencer seus medos e obstáculos para então alcançar seu objetivo. Esse mito instiga cada ser humano a fazer o mesmo: se livrar de sua inibição e achar o caminho que leva à realização do potencial que tem.

A Verdade tem a estrutura de uma ficção. (Slavoj Žižek parafraseando Jacques Lacan)

Anúncios