A fé abstrata dos cristãos

por Furoa

A diferença entre o ensino prático de Jesus e a mensagem alienada dos cristãos

ou

Por que os cristãos nunca serão perseguidos

A ideia central deste blogue, como vocês podem perceber pelo título e pela página “Sobre”, é de que a maioria dos cristãos não estão apenas desviados da mensagem de Jesus, como vivem e propagam uma fé diretamente oposta a ela. Neste texto, especificamente, quero falar sobre como esses cristãos vivem uma fé abstrata e, portanto, contraditória com a mensagem de Jesus.

Para demonstrar isso, lembremos dos cristãos primitivos. Embora o Império Romano tolerasse as mais variadas formas de religião, os cristãos primitivos foram perseguidos. Isso parece contraditório e nos obriga a perguntar: se Roma dava liberdade religiosa aos habitantes de seu império, por que alguns cristãos foram perseguidos?

De certo não foi por que professavam uma fé abstrata como a dos cristãos que conhecemos, do tipo: aceite Jesus em seu coração e reúna-se semanalmente para momentos de êxtase. Que país, povo ou instituição seria ameaçado por isso? Nenhum. Os cristãos primitivos eram perseguidos por virar o mundo de cima para baixo. Eles subverteram o sistema político hierárquico, a religião supersticiosa e a economia que privilegiava poucos.

Os cristãos são diametralmente opostos a isso. Eles nunca serão perseguidos, pois em vez de proporem um jeito totalmente diferente de viver e encarar o outro, apenas sacralizam a ordem injusta na qual o mundo está sustentado.

Se já não bastasse isso, vivem numa hipocrisia gigante, em que se dizem os portadores da palavra de Deus, mas não vivem os preceitos mais básicos do Evangelho. É triste ver como os cristãos se levantam rapidamente contra o uso de bebidas alcoólicas, mas não se opõem nunca à violência (ao contrário, a defendem!). Na lógica cristã, fazer tatuagem não pode, mas ser machista e defender o espancamento e a pena de morte pode. São dois pesos e duas medidas.

Para mostrar um exemplo de como os cristãos não praticam o que Jesus ensinou: o Evangelho claramente nos ordena a amar os inimigos (Mt 5,43-48; Lc 6,27-36), ser pacificadores (Mt 5,9) e não resistir ao mal com violência (Mt 5,38-42), o que, evidentemente, é o oposto do que os cristãos fazem. Para explicar a evidente contradição entre a mensagem de Cristo e o estilo de vida cristão, inventam as desculpas mais esfarrapadas, sem base nenhuma (é claro) na mensagem de Jesus.

Os cristãos vivem uma fé amiga de uma sociedade corrupta (e não se engane, isso não é de agora, acontece há muitos anos). Defendem uma moralidade furada, que exclui pessoas da comunidade de fé e se recusam categoricamente a seguir os princípios ensinados por Jesus. É preciso reconhecer que a mensagem de Jesus não é abstrata, desligada do mundo, mas é prática e para ser vivida aqui e agora.

Anúncios