Quaresma, tempo de encarar a realidade

por Furoa

Água mole em pedra dura tanto bate até que fura.

— Ditado popular.

 

Conquista-se o mundo

Quando não se tem o que fazer

Quando se tem o que fazer

Não se conquista o mundo.

— Tao Te Ching, 48

Estamos no tempo da Quaresma, um espaço para o silêncio, a conversão e o descanso. E considerando que vivemos extremamente ocupados, sem tempo para nada, a Quaresma se torna ainda mais importante.

Fazemos coisas de mais e ficamos insatisfeitos quando o mundo não se molda à nossa vontade. Precisamos parar, olhar para dentro, reconhecer nossos erros e perceber nossa impermanência. É imprescindível para agir corretamente e de forma transformadora que paremos de vez em quando para refletir sobre nossa própria vida. Quando não o fazemos, enchemos nossa mente de coisas e ignoramos as reais intenções por trás de nossos atos.

A Quaresma nos convida também a relembrar que nós não somos aceitos por Deus por sermos perfeitos ou por pelo menos tentarmos ser, mas simplesmente como somos — isso é graça. Viver pela graça é aceitar o mundo e as pessoas — inclusive nós mesmos — como somos: imperfeitos.

O grande mistério está no fato de que só quando aceitamos a realidade como ela é, o mundo se torna melhor, “nos tornamos justiça de Deus”, nas palavras de 2 Coríntios.

Esse é o centro da mensagem da cruz. Deus não nos perdoa por termos mudado, ou seja, o perdão de Deus não vem depois de nossa transformação. Mas é o perdão de Deus — que vem antesque nos possibilita mudar.

Por amor a Cristo lhes suplicamos: Reconciliem-se com Deus. Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele nos tornássemos justiça de Deus. Como cooperadores de Deus, insistimos com vocês para não receberem em vão a graça de Deus. Pois ele diz: “Eu o ouvi no tempo favorável e o socorri no dia da salvação”. Digo-lhes que agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação!
Não damos motivo de escândalo a ninguém, em circunstância alguma, para que o nosso ministério não caia em descrédito. Pelo contrário, como servos de Deus, recomendamo-nos de todas as formas: em muita perseverança; em sofrimentos, privações e tristezas; em açoites, prisões e tumultos; em trabalhos árduos, noites sem dormir e jejuns; em pureza, conhecimento, paciência e bondade; no Espírito Santo e no amor sincero; na palavra da verdade e no poder de Deus; com as armas da justiça, quer de ataque, quer de defesa; por honra e por desonra; por difamação e por boa fama; tidos por enganadores, sendo verdadeiros; como desconhecidos, apesar de bem conhecidos; como morrendo, mas eis que vivemos; espancados, mas não mortos; entristecidos, mas sempre alegres; pobres, mas enriquecendo a muitos; nada tendo, mas possuindo tudo.
— 2 Coríntios 5,20b-6,10

 

Sob o céu o mais suave

Vence aquilo que é mais firme.

— Tao Te Ching, 43

Anúncios